“... Quer saber? Isso não vai dar certo. Eu não consigo escrever sobre mim mesma como escrevo sobre Zadia. É estranho demais. O fato é que não consigo fazer muita coisa. Isso é parte do problema.
As pessoas acham que vampiros são glamorosos e poderosos, mas eu estou aqui para informar a vocês que ser um vampiro não tem nada a ver com isso. Nem um pouco. Ao contrário, é como ficar presa dentro de casa com gripe, assistindo à programação diurna da televisão, para sempre.
Se fosse tão fácil ser um vampiro, não existiria um Grupo de Apoio ao Vampiro...”

Todos os direitos reservados. Farol Literário 2012